Lucros de empresas chinesas estão em colapso como se 2020 estivesse de volta

Facebook
Twitter
LinkedIn

Mais de 4.800 empresas chinesas listadas em Xangai, Shenzhen e Pequim já divulgaram seus resultados do primeiro semestre e 53% registraram queda no lucro líquido

 

Especialistas culparam as rígidas restrições impostas na China devido à Covid-19 e o aprofundamento da crise no mercado imobiliário pelo desempenho sombrio das empresas29/04/2020REUTERS/Thomas Peter

 

A China está sofrendo uma de suas piores recessões de lucros já registradas, já que a política de “Covid zero” de Pequim e uma crise imobiliária afetam as empresas listadas do país.

Mais de 4.800 empresas chinesas listadas em Xangai, Shenzhen e Pequim já divulgaram seus resultados do primeiro semestre do ano. Foi um banho de sangue.

Cerca de 53% registraram queda no lucro líquido, segundo dados da Wind and Choice, dois grandes serviços de informações financeiras do país. Isso foi quase tão ruim quanto em 2020, quando as empresas registraram sua pior temporada de ganhos, já que o país quase parou durante o surto inicial de coronavírus. Naquela época, 54% das empresas listadas viram seu lucro cair nos primeiros seis meses.

De certa forma, porém, o início deste ano foi pior. O número de empresas que reportaram prejuízo atingiu um recorde de quase 900 no primeiro semestre. Em 2020, cerca de 780 perderam dinheiro.

Uma queda nos lucros da segunda maior economia mundial pode repercutir em todo o mundo. Isso porque as empresas chinesas são grandes compradoras de commodities, tecnologia e outros produtos no mercado global.

“Já vimos o impacto”, disse Alicia García Herrero, economista-chefe para a Ásia-Pacífico do Natixis, um banco de investimento francês. Os preços do petróleo e de outras commodities de energia recuaram e as fábricas de semicondutores começaram a ver a desaceleração dos pedidos, acrescentou ela.

Especialistas culparam as rígidas restrições impostas na China devido à Covid-19 e o aprofundamento da crise no mercado imobiliário pelo desempenho sombrio das empresas.

“As principais razões são as restrições de mobilidade e uma enorme queda no sentimento associada ao minguar do mercado imobiliário”, disse García Herrero.

Larry Hu, economista-chefe da China para o Macquarie Group, disse que os baixos ganhos refletem a desaceleração da economia chinesa, que está sendo arrastada pela crise imobiliária, a piora da situação da Covid-19 e o enfraquecimento da economia global.

Até agora, a China manteve sua política de Covid zero, que geralmente leva a restrições estritas à circulação de pessoas e lockdowns instantâneos de cidades em alguns casos. As viagens de e para a China também estão limitadas.

 

Teste de Covid-19 em Chengdu / 3/11/2021 cnsphoto via REUTERS

 

Xangai, o centro financeiro do país de 25 milhões de pessoas, foi colocada sob um lockdown de dois meses no início deste ano. Desde então, muitas outras cidades importantes também restringiram a circulação dos moradores e empresas. Na quinta-feira (1), Chengdu, uma cidade no sudoeste da província de Sichuan, colocou em lockdown seus 21 milhões de habitantes após um aumento nos casos de Covid-19.

O PIB da China cresceu apenas 0,4% no segundo trimestre em relação ao ano anterior, o desempenho mais fraco desde o início de 2020. No mês passado, vários grandes bancos de investimento reduziram suas previsões para o crescimento econômico anual da China para 3% ou menos.

Os analistas também estão preocupados com uma onda de calor recorde que varreu o sul da China recentemente, o que fez com que algumas províncias fechassem fábricas para economizar energia.

“Se Pequim decidir começar a flexibilizar [a política de Covid zero] a partir de março de 2023, esperamos que a economia e os mercados passem por um período difícil, pois as pessoas ficarão desapontadas por não haver uma abertura real ou serão sobrecarregadas por uma crescente infecção por Covid”, disseram os analistas do Nomura em um relatório de pesquisa na sexta-feira (2).

 

Principais perdedores

As empresas de tecnologia mais proeminentes da China estão entre as que sofrem. O segundo trimestre marcou o fim de anos de crescimento explosivo, com o Alibaba relatando receita estável para o período de abril a junho. A Tencent registrou seu primeiro declínio trimestral nas vendas.

Para alguns outros setores da economia, este ano tem sido o pior já registrado.

Três das maiores companhias aéreas da China – Air China, China Southern Airlines e China Eastern Airlines – registraram perdas recordes, com uma perda combinada de 50 bilhões de yuans (US$ 7,2 bilhões) no primeiro semestre. Todas culparam as interrupções nas viagens por causa das restrições da Covid e da desvalorização do yuan, que caiu 9% em relação ao dólar americano este ano.

Uma moeda mais fraca prejudica o setor aéreo da China, porque as empresas precisam pagar por aeronaves, peças e combustível importados em dólares. Os custos do serviço da dívida denominada em dólar também aumentam.

As construtoras imobiliárias também estão entre os piores desempenhos até agora este ano, com o mercado imobiliário do país em queda.

O setor, que responde por até 30% de seu PIB, foi prejudicado por uma campanha do governo desde 2020 para conter os empréstimos imprudentes desse tipo de indústria. Os preços dos imóveis vêm caindo, assim como as vendas de novas casas.

A crise aumentou nos últimos meses, quando milhares de compradores de imóveis insatisfeitos ameaçaram parar de pagar suas hipotecas de casas inacabadas, sacudindo os mercados e levando empresas e autoridades a tomar medidas para desarmar a crise.

A Country Garden, desenvolvedora número 1 da China em vendas, registrou uma queda de 96% no lucro líquido no primeiro semestre, a maior desde sua listagem de 2007 em Hong Kong.

A empresa disse que foi pressionada por “forças além do nosso controle, como o ressurgimento da pandemia em várias partes da China continental e clima extremo, que se juntaram com a desaceleração no setor imobiliário”.

 

Por CNN Brasil

 

Aulas ao vivo P5M, toda 3ª feira às 20h. Ao vivo e gratuitas, as melhores aulas que você já viu (palavra de honra) sobre como dominar os investimentos, negócios, finanças e empreendedorismo. Clique aqui e se cadastre.

Posts relacionados:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

plugins premium WordPress