fbpx

Bolsonaro e Elon Musk discutem futuro da Amazônia em hotel de luxo no interior de SP

Facebook
Twitter
LinkedIn

Bilionário deverá permanecer 2 horas no Brasil para tratar de conectividade e proteção da floresta com presidente e ministros

Bolsonaro e Musk discutem conectividade e proteção da Amazônia, segundo ministro
Crédito: EVARISTO SA, ANGELA WEISS/AFP

A reunião entre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o homem mais rico do mundo, o bilionário Elon Musk, nesta sexta-feira (20), começou por volta de 10h30 num hotel de luxo a 100 km de São Paulo (SP).

Localizado em Porto Feliz (SP), o Fasano Boa Vista cobra a partir de R$ 2.900 por dia de hospedagem e conta com heliponto, campo de golfe, spa, quadras de tênis e um centro para praticar equitação.

Musk, que é dono da Tesla e da SpaceX e cuja fortuna estimada é de US$ 219 bilhões (mais de R$ 1 trilhão) de acordo com a Forbes, desembarcou no Brasil pouco depois das 9h para se encontrar com o chefe do Executivo.

A estadia de Musk, que pousou em um aeroporto privado de São Roque (SP), será de aproximadamente 2 horas no país.

Bolsonaro saiu de Brasília e desembarcou no mesmo aeroporto particular por volta das 10h25.

A pauta do encontro é a conectividade e a proteção da Amazônia, de acordo com o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Ontem, Bolsonaro disse que encontraria “uma pessoa muito importante”, mas não citou o nome do bilionário. “Tenho um encontro amanhã com uma pessoa muito importante, que é reconhecida no mundo todo e que vem para cá oferecer para ajudar a nossa Amazônia, o coração”, disse o presidente na live semanal.

 

Musk e o Twitter

Elon Musk está em um processo de compra da rede social Twitter, mas o negócio emperrou. Ao anunciar a negociação para se tornar proprietário, criticou a plataforma e defendeu a ideia de que os usuários da rede social tenham mais liberdade para expressar seus pensamentos.

“A liberdade de expressão é a base de uma democracia que funciona, e o Twitter é a praça pública digital onde os temas vitais para o futuro da humanidade são debatidos”, afirmou. “Espero que até meus piores críticos permaneçam no Twitter, porque é isso que significa liberdade de expressão”, acrescentou.

A compra do Twitter agradou ao governo federal. Constantemente, Bolsonaro critica decisões do STF (Supremo Tribunal Federal) que restringem o acesso de apoiadores do presidente à plataforma e reclama de uma perseguição do Judiciário contra os seus eleitores. Com Musk à frente da rede social, o Executivo espera que esse tipo de situação seja coibido.

O governo brasileiro anunciou, em novembro, que estava negociando um acordo con Musk para que a empresa dele Space X proporcione internet por satélite na floresta amazônica para ajudar a detectar o desmatamento ilegal.

 

Por BLOG DO NOLASCO | Do R7

 

Construa uma vida sem preocupações financeiras com o CRG, seu plano único e completo com todas as carteiras de investimentos, clique aqui.

Posts relacionados:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.